INCUBAÇÃO DE ARGISSOLO VERMELHO AMARELO distrófico COM APLICAÇÃO DE DOSES CRESCENTES DE CaCO3 PARA NEUTRALIZAÇÃO DA ACIDEZ TROCÁVEL

Luis Felipe Rodrigues de Aquino Sousa, Ricardo Welder Duarte Marinho, Felipe Machado Nunes, Niedja Bezerra Costa, Ivaneide de Oliveira Nascimento, Wilson Araújo da Silva

Resumo


O objetivo deste trabalho foi neutralizar o efeito da acidez trocável de um ARGISSOLO VERMELHO AMARELO distrófico incubado com aplicação de doses crescentes de CaCO3. O presente trabalho foi realizado no Laboratório de Solos da UEMA/CESI. As amostras de solo foram coletadas em um ARGISSOLO VERMELHO AMARELHO distrófico no Parque de Exposição de Imperatriz-MA, na camada de 0-20 cm de profundidade. Após a coleta das amostras, estas foram conduzidas para o laboratório, secas ao ar, depois destorroados, passadas em peneira de 2 mm de abertura de malha e homogeneizadas e encaminhadas para o laboratório de solos para análise de rotina. Nas amostras de solo foram postas para incubação doses crescentes de carbonato de cálcio equivalentes a 0, 1, 2, 3, 4, 5, 8 e 10 t.ha-1 (CaCO3), com dez repetições, em um delineamento experimental inteiramente casualizado. Após 30 dias do início de incubação foi feita amostras de cada unidade experimental para determinar a acidez trocável (Al3+), a fim de determinar a curva e equação de neutralização da acidez trocável do solo. Houve diferença significativa entre os tratamentos, em relação ao Al3+. A quantidade usada para neutralizar a acidez trocável determinada pela equação de regressão para o solo em estudo do Parque de Exposição de Imperatriz/MA foi de 8,8 t.ha-1 de CaCO3.

 

PALAVRAS-CHAVE: Alumínio. Curva de neutralização. Produção.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/ragros.v6i1.1847

ISSN online 2318-0188