LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO COMPONENTE ARBUSTIVO-ARBÓREO DA VEGETAÇÃO CILIAR DE FRAGMENTO NO RIO PARAUAPEBAS

Silmara Bento Silva, Vanderleia Conceição Sousa, Crissogno Mesquita Santos, Daiane Cinque Mariano, Ricardo Shigueru Okumura

Resumo


RESUMO: As atividades relacionadas à mineração são causadoras de enormes alterações na estrutura e na dinâmica da paisagem, sendo fundamentais estudos da diversidade florística para elaboração de estratégias de conservação da biodiversidade. O objetivo do estudo foi analisar a composição florística em floresta de várzea, próximo a ambiente impactado por atividades mineradoras, localizada ao longo do rio Parauapebas. Foram instaladas 13 parcelas fixas de 10 x 10 m (10 m2), alocadas de forma sistemática na área de mata ciliar, ao longo da margem do rio Parauapebas, município de Parauapebas, PA. Por meio dos resultados do experimento foram identificadas 23 famílias distribuídas em 18 gêneros e 30 espécies. As famílias com maior número de espécies foram Fabaceae (11), Malvaceae (3) e Rutaceae (2). O gênero com maior riqueza em espécies foi Inga sp., com 3 espécies diferentes, respectivamente. A família Fabaceae representou 32% das espécies coletadas, Malvaceae 10% e Rutaceae 6%. Das espécies amostradas, uma foi exótica, representada pelo Citrus limon (L.) Osbeck (limão-galego) e o indivíduo com maior representatividade foi Sterculia chicha A. St. -Hil., presente na maioria das parcelas. Apesar do fragmento encontrar-se ameaçado por ações antrópicas, a variedade florística no local apresenta-se bastante diversificada, com espécies pioneiras, secundárias e clímax.

PALAVRAS-CHAVE: Composição florística, Flora amazônica, Riqueza.


Texto completo:

PDF


ISSN online 2318-0188