Cabeçalho da página

Monoparentalidade Feminina Sustentada Pelo Extrativismo da Mangaba

Bianca Ferreira Lima, Dalva Maria da Mota

Resumo

Neste artigo, refletimos sobre mulheres chefes de famílias que praticam o extrativismo da mangaba sustentando a reprodução sociocultural de seus grupos. Buscamos, a partir de suas trajetórias, desvendar os fluxos migratórios, a vulnerabilidade na juventude e a segurança socioeconômica encontrada no extrativismo, aliados com a monoparentalidade. A pesquisa foi realizada na Vila Paca - Ilha de Marajó. Observações e entrevistas constaram dentre os procedimentos de pesquisa. As conclusões mostram que o extrativismo da mangaba é uma atividade ancestral praticada por mulheres e crianças, proporcionando autonomia do tempo, do trabalho e dos recursos monetários. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v9i1.5495

© Direitos reservados à Amazônica - Revista de Antropologia
This is an open access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.
Designed by: Leonardo Baima
Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.