A CONSTRUÇÃO INTERCULTURAL DO DIREITO DAS MULHERES INDÍGENAS A UMA VIDA SEM VIOLÊNCIA: A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA

Lívia Gimenes Dias da Fonseca

Resumo


Ao se aplicar a noção de interculturalidade aos direitos das mulheres no Brasil seconfronta, em especial, com os desafios colocados pelo movimento de mulheres indígenas. Uma situação importante que aponta para a complexidade deste problema é a realidade de violência que as mulheres indígenas vêm denunciando em contexto intra-étnico como violências conjugais. O desafio que se coloca é a compreensão de que as respostas às violências sofridas pelas mulheres não pode ser homogênea do mesmo modo que a realidade delas é diversa. Refletir sobreas instituições estatais, em especial as jurídicas, para que essas sejam mais abertas às diversidades e ao diálogo com a sociedade é algo que serve a todos e todas. A proposta que aqui se coloca é a discussão acerca das possibilidades de abertura do Direito para o diálogo problematizador com as organizações de mulheres indígenas, como organização social legítima na formulação e alargamento da concepção de direitos das mulheres para que estes sirvam à libertação de todas as mulheres.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/hendu.v6i1.2474

© Hendu - Revista Latino-Americana de Direitos Humanos

Licença Creative Commons
Hendu – Revista Latinoamericana de Derechos Humanos; Hendu - Revista Latino-Americana de Direitos Humanos; Hendu – Latin American Human Rights Journal de Consórcio Latino-Americano de Pós-Graduação em Direitos Humanos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/hendu/index.