Da miscigenação ao pluriculturalismo: questões em torno da ideologia pós-racial e a política da diferença no Brasil

Alexandre Emboaba Da Costa

Resumo


Este artigo desenvolve o conceito da ideologia pós-racial no contexto brasileiro em relação a idealização da miscigenação e a persistente defesa da democracia racial como uma futura possibilidade ameaçada pelos movimentos antirracistas e pelas políticas de reparações para o povo negro brasileiro. O artigo apresenta dois aspectos em relação a ideologia pós-racial como estratégia de poder. Primeiro, examina a existência da defesa continuada da miscigenação e da democracia racial como possibilidade harmoniosa e igualitária num contexto onde a realidade revela a frequente desumanização e racismo contra negros/as, e um persistente fosso sócio-econômico entre afro-descendentes e euro-descendentes. Segundo, o artigo analisa as políticas públicas étnico-raciais e pluriculturais, argumentando que ao mesmo tempo que elas têm aberto possibilidades para transformação das relações étnico-raciais, elas têm também representado uma institucionalização das demandas do movimento negro e um reformismo que limita a reestruturação radical da base política do estado brasileiro, do conteúdo epistemológico das políticas públicas e da participação cidadã. Especificamente, o exemplo das diretrizes para a implementação da Lei nº 10.639/03 é analisado. Concluo que as políticas antirracistas e pluriculturais negras que propendem à descolonização das relações étnico-raciais necessitam o trabalho crítico e contínuo dos movimentos sociais negros, caso contrário, elas se tornarão cooptativas, incorporando a luta negra em políticas e instituições delimitadas, impedindo transformações sociais mais amplas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/hendu.v6i2.3876