A CONSTITUIÇÃO DA MEMÓRIA EM BENEDICTO MONTEIRO E MILTON HATOUM

Tânia Maria Pantoja Pereira albuquerque

Resumo


Segundo  Walter Benjamin,  a  historiografia  e  a  reminiscência seriam a origem comum da rememoração e da memória presentes em relatos repassados de geração em geração. Nos romances há um fio que amarra todos os caminhos da imensa teia que configura a mais enfótica atitude do ato de narrar.’ a memória. Neles, a memória é algo a que está submetida a própria  história. Apresenta, em linhas gerais, alguns traços da memória, constituinte maior do imaginário amazô- nico nos romances A Terceira Margem (1983), de Benedicto Monteiro, e Relato  de um Certo Oriente (1989), de Milton Hatoum, distendida a partir de tensões-chave. o diálogo entre imigrantes estrangeiros e nativos muitas vezes estrangeiros na própria terra (Relato de um Certo Oriente) e a fusão do elemento nativo com as diversas etnias que compõem o cenário antropológico da região Norte do País (A Terceira Margem), bem como a relação entre esses traços e a memória enquanto marca  indelével  da contemporaneidade  na  literatura nacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/moara.v2i12.3106

      http://diadorim.ibict.br/handle/1/1356