Cabeçalho da página

Atividades argumentativas em livros didáticos de física do PNLD 2015: o incentivo ainda é escasso

André Henrique Silva Souza, Rodrigo Drumond Vieira, Viviane Florentino Melo

Resumo


Pesquisas em educação em ciências apontam que a argumentação é uma prática necessária para os processos ativos de aprendizagem dos estudantes. Os documentos oficiais têm sinalizado para a necessidade de incorporar práticas que dão suporte a processos argumentativos em sala de aula. Considerando que o livro didático tem sido muitas vezes utilizado pelos professores no ambiente escolar como um condutor do currículo, consideramos que ele pode (e deve) apresentar maneiras de criar suporte para  processos argumentativos em sala de aula. Desta forma, neste trabalho analisamos se atividades de argumentação são estimuladas ou evocadas por atividades que o livro didático propõe. Analisamos sete das quatorze coleções aprovadas pelo PNLD (2015) para o caso do livro didático de Física para o Ensino Médio. Nossos critérios de análise se baseiam em como a estrutura da atividade é apresentada (bem ou mal estruturada  e se os marcadores “justificativas recíprocas” e “contraposição de ideias” estão sendo evocados ou utilizados. Os resultados indicam que os livros didáticos apresentam em parte, suporte para o processo argumentativo, mas esse suporte ainda é muito incipiente.


Palavras-chave


argumentação; livro didático; educação em ciências

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazrecm.v13i25.3751

Direitos autorais 2016 CC-BY



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.