REPRESENTAÇÕES DE DOCENTES SOBRE VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: UM ESTUDO EM UMA ESCOLA RIBEIRINHA

Vivian da Silva Lobato

Resumo


Resumo: Este trabalho de pesquisa orientou-se pelo objetivo de analisar as representações de professores sobre violência no contexto escolar. A coleta de dados foi realizada em uma Escola ribeirinha e quilombola. Foi realizada pesquisa bibliográfica, seguida de entrevistas com seis (6) professores de uma Escola de Estadual de Ensino Fundamental e Médio do Município de Abaetetuba, no Estado do Pará. Os professores entrevistados trabalham no Ensino Médio da Escola Santos André. Com o objetivo de preservar o anonimato, atribuíram-se nomes fictícios na apresentação e discussão dos resultados. Optou-se por agrupar os dados em categorias de significados, ao final foram elencadas nove (9) categorias, quais sejam: O que os professores conversam sobre a violência, formas de violência manifestas na escola, a violência considerada a mais grave, como a violência é trabalhada em sala de aula, como os professores costumam agir diante da violência, a formação sobre violência escolar, a violência na relação professor-aluno, a infraestrutura da escola X violência, consequências da violência para a escola. O referencial teórico-metodológico utilizado assentou-se nos estudos dos seguintes pesquisadores: Franco (2004), Charlot (2002), Fante (2005), Placco (2005), Kodato (2010) e Pedro-Silva (2014).  Foi possível constatar a falta de formação docente para lidar com a violência, o vácuo estratégico e o medo dos professores que, embora percebam a complexidade do problema ainda procuram na família a principal origem da violência.

Palavras-chave: Violência. Escola quilombola. Professores.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v10i14.4252

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados à Revista Margens Interdisciplinar - ISSN: 1982-5374

Universidade Federal do Pará - Campus Universitário de Abaetetuba - Editora Campus de Abaetetuba