Cabeçalho da página

“DENTRO E FORA”: OS SIGNIFICADOS DO FAZER ARTESANATOS ENTRE OS KAINGANG NAS CIDADES

Diego Fernandes Dias Severo

Resumo

Este trabalho busca descrever e analisar o processo do fazer artesanatos entre os kaingang da ëmã Por Fi Ga, São Leopoldo/RS. Nas cidades, os kaingang são tomados pela população fóg (não índios) como “coitados” e “impostores”. Esse texto visa explicitar os significados empreendidos pelos kaingang ao realizarem a tarefa que, de maneira incisiva e eficaz, incutem sua produção entre os jovens, a fim de estabelecer, em pequenas aldeias, a materialização do novo sob o domínio do pensamento dos anti­gos. No movimento de “mudar e permanecer”, os kaingang se mantém ligados ao domínio da mata, que além de propiciar a necessária sobrevi­vência financeira, estabelece meios perceptivos para inventar e elaborar objetos que passam a englobar sua tradição. Dessa forma, o novo passa a entrelaçar conhecimentos em desuso nas aldeias grandes, conhecimentos que no meio urbano o fazem índio. Por fim, conclui-se que as cidades produzem a necessidade de inventar e utilizar conhecimentos tradicio­nais, já desconhecidos por alguns no fazer-se kaingang. Nos artesanatos, encontram o material necessário para estarem física e ideologicamente dentro e fora da zona urbana.

Palavras-chave: artesanatos, kaingang, aprendizado


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v7i1.2151

© Direitos reservados à Amazônica - Revista de Antropologia
This is an open access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.

Gerencia do Portal

Luciléia Silva:

Email: lucileia@ufpa.br

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.