Cabeçalho da página

Memórias de Mulheres Seringueiras na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto/RO: Linguagem, Cultura e Identidade

Eva da Silva Alves, Auxiliadora dos Santos Pinto, Renato Fernandes Caetano

Resumo

Este trabalho apresenta o registro, a descrição e a análise de aspectos da linguagem das mulheres seringueiras e agroextrativistas da Reserva Extrativista Rio Ouro Preto (RESEX) em Guajará-Mirim/RO, evidenciando marcas identitárias culturais e mostrando, a partir das histórias de vida, que esse grupo possui um léxico específico, permeado por elementos constituidores de identidade, misticismo e subjetividade. Trata-se de um estudo sociolinguístico, de cunho etnográfico, no qual foram entrevistadas mulheres que residem na referida RESEX. Verifica-se, nas narrativas orais registradas e analisadas, que a linguagem desse grupo reflete marcas identitárias linguísticas e socioculturais que expressam saberes singulares


Texto completo:

V10N02PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v10i2.6525

© Direitos reservados à Amazônica - Revista de Antropologia
This is an open access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.

Gerencia do Portal

Luciléia Silva:

Email: lucileia@ufpa.br

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.