Cabeçalho da página

A necropolítica ambiental nos quilombos de Ilha de Maré, Bahia, Brasil

Bruna Pastro Zagatto, Luiz Enrique Vieira de Souza

Resumo

O presente artigo analisa criticamente o processo de industrialização da Baía de Todos os Santos (BTS), com foco nos conflitos e crimes socioambientais vivenciados pela população de Ilha de Maré. Sua contribuição específica consiste em uma formulação conceitual que apreende o fenômeno em questão como resultado de uma “necropolítica ambiental”. Esse conceito reconhece a pertinência das ideias de “justiça ambiental” e “racismo ambiental”, mas desvela com maior acurácia como as políticas desenvolvimentistas se caracterizam por mecanismos que produzem sistematicamente o terror psicológico, o adoecimento dos corpos e a morte. Com base em uma abordagem metodológica respaldada nos princípios da “participação observante”, o estudo valeu-se de entrevistas semiestruturadas, documentos oficiais e estudos acadêmicos para demonstrar que a “necropolítica ambiental” implica a aniquilação de territórios e o rebaixamento ontológico das populações atingidas. Por fim, discutimos as temporalidades da “necropolítica ambiental” e propomos uma agenda de pesquisa que explore os potenciais analíticos desse conceito


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazonica.v12i1.8551

© Direitos reservados à Amazônica - Revista de Antropologia
This is an open access website under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Comercial License.

Gerencia do Portal

Luciléia Silva:

Email: lucileia@ufpa.br

Creative Commons License
Amazônica - Revista de Antropologia da Universidade Federal do Pará é licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-No Derivative Works 3.0 Brasil.
Based on a work at www.periodicos.ufpa.br.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica.