Cabeçalho da página

ANÁLISE DA DIVIDA PÚBLICA A PARTIR DOS ESQUEMAS DE REPRODUÇÃO DO CAPITAL DE MARX

José Raimundo Barreto Trindade

Resumo

Este artigo trata esquematicamente do financiamento da dívida pública e sua interseção com os limites do processo de acumulação, utilizando para isso os Esquemas de Reprodução, especificamente na versão de Grossman, como uma ferramenta metodológica. A utilização dos esquemas visa problematizar a relação entre a lógica reprodutiva da acumulação de capital e as condições de financiamento do Estado, cabendo averiguar os limites das condições de acumulação e quanto os mesmos interferem no processo de financiamento da dívida pública.


Palavras-chave

Esquemas de Reprodução; Divida Pública; Teoria Marxista


Texto completo:

PDF

Referências


BAUER, O. La acumulación del capital. In: COLLETTI, L. El marxismo y el “derrumbe” del capitalismo. Madrid: siglo veintiuno, 1978.

FOLEY, D. State expenditure from a Marxist perpective. In: BAKER, S. H. & ELLIOTT, C. S. Readings in Public Sector Economics. Massachusetts: D. C. Heath and Company, 1990.

_________. Asset Speculation in Marx’s Theory of Money. In: BELLOFIORE, Riccardo. Marxian Economics: a reappraisal essays on Volume III of Capital. New York: Macmillan Press ltd, 1998.

GERMER, C. M. Receita pública e circulação monetária na teoria de Marx. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, vol. 25, p. 5-31, dezembro 2009.

GIUSSANI, Paolo. Esquemas de Reprodução. In: BOTTOMORE, T. (editor). Dicionário do Pensamento Marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

GRESPAN, J. L. da S. O negativo do capital: o conceito de crise na crítica de Marx à economia política. São Paulo: Editora Hucitec, 1999.

GROSSMANN, H. La ley de la acumulación y del derrumbe del sistema capitalista. Madrid: siglo veintiuno, 1979.

HARVEY, David. Los limites del capitalismo y la teoria marxista. México: Fondo de Cultura Económica, 1990.

LUXEMBURGO, R. Acumulação de Capital. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

MARX, K. Elementos Fundamentales para la Critica de la Económia Política (Borrador) 1857-1858, v. I e II. México: Siglo xxi Argentina Editores, 1977.

__________. O Capital: crítica da economia política, Livro 1, Volume II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981a.

__________. O Capital: crítica da economia política, Livro 2, Volume II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981b.

__________. O Capital: crítica da economia política, Livro 3, Volume V. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981c.

___________. Teorias da Mais-valia, Volume I. São Paulo: Difel, 1985a.

___________. Teorias da Mais-valia, Volume II. São Paulo: Difel, 1985b.

___________. Teorias da Mais-valia, Volume III. São Paulo: Difel, 1985c.

MATTICK, Paul. Marx y Keynes: los limites de la economia mixta. México: Ediciones Era, 1975.

_________. Crítica de la teoría económica contemporánea. México: Ediciones Era, 1980.

OLIVEIRA, F. A. de. Economia e política das finanças públicas no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2012.

REZENDE, Fernando. Finanças Públicas – 2° edição- São Paulo; Atlas, 2001.

ROSDOLSKY, Roman. Gênese e estrutura de O Capital de Karl Marx. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto, 2001.

TRINDADE, José R. B. A Dinâmica dos Gastos Estatais numa Perspectiva Marxista Clássica. Revista de Economia (Curitiba), v. 34. P. 131-149, 2008. Disponível em: http://goo.gl/wSylz1.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/cepec.v4i1-6.6881

Apontamentos

  • Não há apontamentos.