Cabeçalho da página

A RELAÇÃO ENTRE COMUNIDADE E FLORESTA: UM ESTUDO DE CASO DA COMUNIDADE QUILOMBOLA BAIXINHA, BAIÃO/PA

Carla Kelen de Andrade Moraes, João Olegário Pereira de Carvalho, André Sousa dos Santos

Resumo

Este estudo propõe mostrar como se dá a relação dos moradores da Comunidade Quilombola Baixinha, em Baião/Pa com a floresta. O estudo foi realizado no período de setembro de 2010 a março de 2011, e as informações foram obtidas a partir de dois diagnósticos locais e um inventário amostral da área de floresta (3 hectares). Dentre as informações coletadas, pode-se perceber que apesar de muitos apoios recebidos, a comunidade não conseguiu desenvolver programas de sustentabilidade alimentar e econômica. Dentre as espécies existentes na comunidade, houve o destaque das palmeiras Oenocarpus bacaba Mart (Bacaba) e Atalleia maripa (Aubl.) Mart. (Inajá) em função da abundância e frequência, assim como, uso feito pelos moradores. A bacaca se destaca como o principal produto da floresta explorado e comercializado pela comunidade, trazendo retorno econômico as famílias que praticavam essa atividade. Após ações desenvolvidas por um projeto de pesquisa apoiado pelo CNPq em 2008, além da forma natural de comercialização da bacaba, a comunidade também passou a conhecer e comercializar seus subprodutos: licor, geleia e suco energético. E o manejo da palmeira surgiu como condição essencial para aumento da produtividade e conservação da mesma.


Palavras-chave

Gestão Florestal. Produtos Florestais. Comunidade Quilombola


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, A. et. al. O destino da Floresta: reservas extrativistas e desenvolvimento sustentável na Amazônia. – Rio de Janeiro: Relume-Dumará; Curitiba, PR: Instituto de Estudos Amazônicos e Ambientais, Fundação Konrad Adenauer, 1994. 276p.

ANDRADE, M. C. A terra e o homem no Nordeste – Contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 7º ed. São Paulo: Cortez, 2005.

AMARAL, P; AMARAL NETO, M. Manejo Florestal Comunitário: processos e aprendisagens na Amazônia brasileira e na América Latina. Belém: IEB: IMAZON, 2005. 82 p.

BORGES, K H; BRAZ, E M. Recursos Florestais não madeireiros, versão preliminar do Workshop “Manejo de recursos não madeireiros: perspectivas para a Amazônia”. Rio Branco, AC, Junho/98.

COUTINHO, et al. Diagnóstico Rápido Participativo – DRP da Comunidade Quilombola Baixinha. Relatório Final. Impresso: Belém, Outubro, 2006.

CRONQUIST, A. A integrated system of classification of flowering plants. New York, Columbia University Press, p. 592–605, 1981.

EMPERAIRE, L. A floresta em Jogo. O extrativismo na Amazônia Central. São Paulo-SP: Editora UNESP: Imprensa Oficial do Estado, 2000.

FERREIRA, et. al. Quantificação e valorização dos produtos da floresta secundária. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental; Brasília-DF: FNMA, 2006.

KENNY-JORDAM, BC; HERZ, C; AÑAZEO, M; ANDRADE, M. Construyendo Câmbios. Dessarrollo Florestal Comunitário em los Andes. Roma. Itália, 1999.

LIMA, E., Leite, A., NEPSTAD, D., KALIF, K., AZEVEDO-RAMOS, C., ALENCAR, A., LOPES, U. e MARRY, F. 2003. Florestas Familiares: um pacto sócio-ambiental entre a indústria madeireira e a agricultura familiar na Amazônia. Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAN). Belém, Brasil. 106p.;il.

NUNES, W: HAYEK, J. Pesquisa de mercado para os produtos da palmeira bacaba (Oenocarpus bacaba Mart.) da área de remanescente de quilombo Baixinha – Baião/Pará. Relatório Final, 2008.

SHANLEY, P. Além da Madeira: certificação de produtos florestais não madeireiros. /Por Patrícia Shanley, Alan Pierce e Sarah Laird. Bogor, Indonésia: Centro de Pesquisa Florestal Internacional (CIFOR), 2005.

SHANLEY, P e MEDINA, G. 2005. Frutíferas e Plantas Úteis na Vida Amazônica. Belém: CIFOR, Imazon, 300p.

SCHETTINO, L. F. Gestão Florestal Sustentável: Um Diagnóstico no Espírito Santo. 1. ed. Vitória: Luiz Fernando Schettino, 2000. 187 p.

ZARIN, Daniel J. [et al.]. As florestas produtivas nos neotrópicos: conservação por meio do manejo sustentável?. Organizadores; traduzido por Tutecleia Portilho Zarin e Patrícia Delamônica Sampaio, - São Paulo: Peirópolis; Brasília, DF: IEB – Instituto Internacional de Educação do Brasil, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/cepec.v6i7-12.7039

Apontamentos

  • Não há apontamentos.