Cabeçalho da página

Acumulação de capital e Especialização do Emprego Industrial nas Cidades Médias não Metropolitanas do Brasil: – 1991 e 2010

William Eufrásio Nunes Pereira, Ana Cristina dos Santos Morais, Ângelo Magalhães Silva

Resumo

O objetivo da pesquisa é descrever o comportamento dos diferenciais de empregos formalizados entre as cidades médias não metropolitanas das regiões do Brasil. Deve-se levar em consideração que esse trabalho limitou-se a estudar tão somente o setor industrial nas cidades em pauta. A metodologia utilizada uma pesquisa bibliográfica aliada ao Índice de Quociente de Localização, o qual tem por finalidade identificar a especialização produtiva das cidades em cada região, refletindo o deslocamento do capital, quando comparadas com a mesma atividade para o Brasil. Os resultados mostraram que a Região Sudeste, continua sendo a detentora do maior quantitativo de empregos formais entre as regiões, como as cidades com maior quantidade de especialização nas atividades mais intensivas em capital. O capital reorganiza o investimento nos espaços que lhe garantem a lucratividade, relocalizando-o de forma a manter os lucros elevados a custa de baixos salários e apropriação de externalidades positivas criadas pelo estado.


Palavras-chave

Cidades Médias; Emprego Industrial; Acumulação de Capital


Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM FILHO, O. B.; SERRA. R. Evolução e perspectivas do papel das cidades médias no planejamento urbano e regional. ANDRADE, T. e SERRA (orgs). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001.

BRUM, Argemiro J. Desenvolvimento econômico brasileiro. 20.ed. Ed. UNIJUÍ – 1999.

CAIADO, Aurílio Sérgio Costa. Desconcentração industrial regional no Brasil (1985 – 1998): pausa ou retrocesso? Tese de Doutorado: Universidade Estadual de Campinas: 2002.

CARNOY, Martin. Estado e Teoria Política. São Paulo: Papirus, 1994

CARVALHO, C.P. Nordeste: Sinais de um novo padrão de crescimento (2000/2008). In: Economia política do desenvolvimento, vol. 1, n. 2. Maceió 2008.

CASTELLS, M. A Questão Urbana. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

ENGELS, Frederich. Origem da família, da propriedade privada e do Estado. IN: MARX, Karl; ENGELS, Frederich. Obras Escolhidas. Vol. I, II e III. São Paulo: Alfa-Omega 1980

GOTTDIENER, M. A Produção Social do Espaço Urbano. São Paulo: EDUSP, 1997

LEFEBVRE, Henri. A Revolução urbana. Tradução Sérgio Martins ; revisão técnica Margarida Maria de Andrade. - Belo horizonte: Ed. UFMG, 2008.

LIMA, Marcos C., Apontamentos para Definições Conceituais de Cidades Médias. Disponível em: http://www.centrocelsofurtado.org.br.

LIMONAD, E. - Reflexões Sobre o Espaço, O Urbano e a Urbanização - Geographia, Vol. 1, No 1 (1999).

LOJKINE, Jean. O Estado Capitalista e a Questão Urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1981a

OLIVEIRA, Francisco de. A metamorfose da arribaçã: fundo público e regulação autoritária na expansão econômica do Nordeste. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 27, p. 67-92, jul.1990.

PEREIRA, William E. N. et al. Distribuição Espacial da Indústria Calçadista no Nordeste (1985/2005). In.MACAMBIRA, Júnior; SANTOS, Sandra Maria dos (org.) Brasil e Nordeste: ocupação, desemprego e desigualdade. Fortaleza, IDT, BNB, 2007.

PEREIRA, William E. N. Reestruturação do Setor Industrial e Transformação do Espaço Urbano de Campina Grande – PB a partir dos anos 1990. Tese de doutoramento em Ciências Sociais. CCHLA. UFRN, 2008.

REZENDE, A. C. de ; CAMPOLINA, B. ; PAIXÃO, A. N. Clusterização e localização da indústria de transformação no Brasil entre 1994 e 2009. In: XVIII Fórum Banco do Nordeste de Desenvolvimento e XVII Encontro Regional de Economia, 2012, Fortaleza. Anais do XVII Encontro Regional de Economia, 2012.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira - 5. ed. - São Paulo: Edusp, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/cepec.v7i1-6.7069

Apontamentos

  • Não há apontamentos.