Complexitas – Revista de Filosofia Temática

Universos funcionam como Grande Cérebro?

Arnaldo Pinto Guedes de Paiva Neto

Resumo

O artigo põe em debate se haveria uma forma científica de explicar a existência de Deus ou deuses. O objetivo do trabalho é responder se diferentes religiões e crenças poderiam se aliar de forma pacífica com o cientificismo. Há uma necessidade constante de diplomacia para que sobrevivamos aos sentimentos impostos pela convivência em sociedade. A nossa proposta é de sermos um movimento intelectual, bioético e científico que tente encontrar um “denominador comum” para as diferentes formas de interpretar a existência e amparar a solidão que sentimos, visto que o Universo também tem sentimentos. A visão científica deste trabalho é em defesa da existência de diversas formas de interpretar os fatos científicos e religiosos. O estudo se baseia nos princípios de liberdade religiosa e dignidade humana. A evolução da humanidade caminha lado a lado com a conciliação entre os povos e enaltecimento dos direitos humanos.


Palavras-chave

crenças; liberdade; humanidade.


Texto completo:

PDF

Referências


ALPER, Matthew. The" God" part of the brain: A scientific interpretation of human spirituality and God. Sourcebooks, Inc., 2008.

ANTONIADIS, John et al. A massive pulsar in a compact relativistic binary. Science, v. 340, n. 6131, p. 1233232, 2013.

CATTANI, M. Einstein Gravitation Theory: Experimental Tests I. arXiv preprint arXiv:1005.4314, 2010.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. Saraiva, 2001.

DE PAIVA NETO, Arnaldo Pinto Guedes. A GÊNESE BIOFÍSICA DA MEMÓRIA. Revista Ouricuri, v. 6, n. 2, p. 042-054, 2017.

EINSTEIN, Albert. Como vejo o mundo. Ed. Nova Fronteira, São Paulo/SP, 1953.

FREUD, Sigmund. O Futuro de uma Ilusão (1927). Rio de Janeiro: Imago, 1974.

GOSWAMI, Amit. O universo autoconsciente: como a consciência cria o mundo material. Aleph, 2015.

GOSWAMI, Amit. A Física da Alma: A explicação científica para a reencarnação, a imortaliade e as experiências de quase morte. Aleph, 2015.

HALLIWELL, Jonathan J.; HAWKING, Stephen William. Origin of structure in the universe. Physical Review D, v. 31, n. 8, p. 1777, 1985.

HAWKING, Stephen W. Chronology protection conjecture. Physical Review D, v. 46, n. 2, p. 603, 1992.

JAMES, William. The varieties of religious experience. Harvard University Press, 1985.

MACHADO, Jónatas Eduardo Mendes. Liberdade Religiosa numa Comunidade Constitucional Inclusiva: dos direitos. 1996.

MARQUES, Juracy. Ecologia do Espírito. Petrolina: Gráfica Franciscana, 2016.

PEIRCE, Charles Sanders. The fixation of belief, 1877.

SANTOS, Boaventura de Souza. Uma concepção multicultural de direitos humanos. Lua nova, v. 39, p. 105-124, 1997.

SMORRA, C. et al. A parts-per-billion measurement of the antiproton magnetic moment. Nature, v. 550, p. 371-374, 2016.

TRYON, Edward P. Is the universe a vacuum fluctuation?. Nature, v. 246, n. 5433, p. 396-397, 1973.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/complexitas.v5i1.6956



Direitos autorais 2020 Complexitas – Revista de Filosofia Temática

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Licença Creative Commons
Complexitas - Rev. Fil. Tem., Belém, PA, Brasil. ISSN:2525-4154 (online) - Email:revistacomplexitas@gmail.com. Está obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.