Logo do cabeçalho da página Novos Cadernos NAEA

Estudo sobre o bairro Lagoinha em Belo Horizonte (MG - Brasil). Entre a tradição, a decadência e a cracolândia: “crônica de uma morte anunciada?”

Nayara de Amorim Salgado, Bráulio Figueiredo Alves da Silva

Resumo

O artigo propõe uma reflexão sobre a Lagoinha, tradicional bairro de Belo Horizonte, localizado na região central a partir de uma pesquisa qualitativa baseada na técnica da observação participante e tem como objetivo a compreensão do processo de transformação do bairro. Por meio do resgate de sua história, constatou-se a importância do bairro, que foi alvo de várias intervenções do poder público em função da malha viária da área central e da estruturação do transporte público metropolitano, e, com os anos passou por um processo de decadência que, recentemente, vem se manifestando, de forma marcante, pela degradação e também pela apropriação de seu espaço por usuários de crack. A apreensão da realidade do lugar se deu a partir de suas representações e apontam para mudanças em sua dimensão simbólica.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Tito Flávio Rodrigues de. Vastos subúrbios da nova capital: formação do espaço urbano na primeira periferia de Belo Horizonte. 2006. 445f. Tese (Doutorado em História). UFMG, Belo Horizonte.

ANDRADE, L. T. de; ARROYO, M. A. (Orgs.). Bairros pericentrais de Belo Horizonte: patrimônio, territórios e modo de vida. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2012.

ANDRADE, Luciana Teixeira de; TEIXEIRA, Alexandre E. A territorialidade da prostituição em Belo Horizonte. Cadernos Metrópole, São Paulo, n.11, 2004.

BASTOS, Francisco Inácio e BERTONI, Neilane. Pesquisa Nacional sobre o uso de crack: quem são os usuários de crack e/ou similares do Brasil? Quantos são nas capitais brasileiras? Rio de Janeiro: Editora ICICT/FIOCRUZ, 2014

BEATO FILHO,, C. C., Assunção, R. M., da Silva, B. F. A., Marinho, F. C., Reis, I. A., & de Mattos Almeida, M. C. (2001). Conglomerados de homicídios e o tráfico de drogas em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, de 1995 a 1999 Homicide clusters and drug traffic in Belo Horizonte, Minas Gerais State, Brazil. Cad. Saúde Pública, 17(5), 1163-1171.

BERNARDES, Brenda Melo e BORSAGLI, Alessandro. A metamorfose de uma paisagem: a construção, o apogeu e o processo de descaracterização do bairro Lagoinha. Revista Eletrônica do Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte / v. 1, n. 1 (2014). – Belo Horizonte, MG: PBH, Fundação Municipal de Cultura, 2014.

CARNEIRO, Maria Lúcia Faria de Azevedo. Um olhar sobre a Lagoinha. Fundação João Pinheiro. Mestrado em Administração Pública. 2001

FREIRE. Cíntia Mirlene Pela. Cotidiano, Memória e Identidade: o bairro Lagoinha (Belo Horizonte, MG) na voz de seus moradores. Dissertação de Mestrado. PUC Minas. Belo Horizonte, 2009.

GONÇALVES, Antônio custódio. Os bairros urbanos como lugares de práticas sociais. Revista da faculdade de Letras-Geografia. I série. Vol. IV – Porto, 1988.

LEMOS, Celina Borges. A lagoinha e suas imagens- a refiguração do seu presente. Cadernos de Arquitetura e urbanismo. Belo Horizonte, n.4, p. 121-160, 1996.

MACHADO, Heloisa Guaracy e PEREIRA Maria de Lourdes Dolabela. A recuperação da Lagoinha dentro de uma nova concepção de política urbana. Cadernos de História. Belo Horizonte, v.2, n.3, p. 36-49, out. 1997.

MAQUIAVELI, Janaina. Tão perto e tão longe: os mapas de movimento como representação espacial das barreiras de acesso ao bairro da lagoinha em belo horizonte. 2015.

MORAES, Fernanda Borges e GOULART, Mauricio Guimarães. As dinâmicas da reabilitação urbana: impactos do Projeto Lagoinha. Cadernos de Arquitetura e urbanismo. Belo Horizonte,v.9, n.10, p. 51-71, dezembro de 2002.

PARK, R. E. Human Ecology. Human Communities: The City and Human Ecology. New York: Free Press, 1952.

SAPORI, Luis Flavio; SENA, Lucia Lamounier; SILVA, Braulio Figueiredo Alves. Mercado do crack e violência urbana na cidade de Belo Horizonte. In: Crack: um desafio social. Org. SAPORI, L.F. e MEDEIROS, R. Editora PUC¬-Minas; 2010.

SARTIN, Philippe Delfino. Sobre liminaridade: relendo Victor Turner em chave pós-estrutural. Revista de Teoria da História, Universidade Federal de Goiás, v. 3, 2013.

SIMMEL, Georg. Métropoles et mentalité. L’École de Chicago. Naissance de l’écologie urbaine, Aubier, Paris, p. 61-77, 1979.

TEIXEIRA, Letícia Miguel. O Habitar Popular nas Paisagens Urbanas Tradicionais. Dissertação. Mestrado. Universidade de Brasília. UNB, 2010.

TURNER, Victor W. O Processo Ritual, Editora Vozez, Petrópolis, 1969.

Reportagens e sites acessados

CRACK no caminho da avenida. Hoje em Dia, Belo Horizonte, 4 set. 2009. Disponível em: Acesso em: 12 de agosto de 2016.

CRACKING BH: principais pontos do tráfico de crack na Lagoinha. Jornalismo Online UniBh, Belo Horizonte, 20 set. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 de agosto de 2016.

LAGOINHA: um bairro tomado pelo Crack. Jornal da Alterosa, Belo Horizonte, 20 set. 2011. Disponível em: Acesso em: 12 de agosto de 2016.

CRACK se espalha por BH em novos endereços. Portal Uai, 02 de abril de 2012. Disponível em: < http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2012/04/02/interna_gerais,286660/crack-se-espalha-por-bh-em-novos-enderecos.shtml> Acesso em: 12 de agosto de 2016.

VICIADO em crack vaga há quatro anos pelo Bairro Lagoinha, em BH. Portal UAI, 12 de agosto de 2015. Disponível em:< http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/08/12/interna_gerais,434005/viciado-em-crack-vaga-ha-quatro-anos-pelo-bairro-lagoinha-em-bh.shtml> Acesso em: 12 de agosto de 2016.

CRACOLÂNDIA aumenta sensação de insegurança no Bairro Lagoinha. Jornal Itatiaia, em 28 de setembro de 2015. Disponível em:< http://www.itatiaia.com.br/noticia/cracolandia-aumenta-sensacao-de-inseguranca-no-bairro-lagoinha > Acesso em: 12 de agosto de 2016.

MORADORES da Lagoinha e Conjunto IAPI pedem soluções para criminalidade na região. Site Câmara Municipal de Belo Horizonte em 07 de novembro de 2013. Disponível em Acesso em 03 de junho de 2017.

PROGRAMAS públicos não conseguem conter expansão do consumo de crack em BH. Hoje em dia, em 25 de Janeiro de 2016. Disponível em: < http://hojeemdia.com.br/horizontes/programas-p%C3%BAblicos-n%C3%A3o-conseguem-conter-expans%C3%A3o-do-consumo-de-crack-em-bh-1.352809 > Acesso em: 12 de agosto de 2016.

OLHO Vivo, polícia e profissionais da saúde não inibem ações na antiga cracolândia de BH. Hoje em dia, em 24 de maio de 2017. Disponível em: < http://hojeemdia.com.br/horizontes/olho-vivo-pol%C3%ADcia-e-profissionais-da-sa%C3%BAde-n%C3%A3o-inibem-a%C3%A7%C3%B5es-na-antiga-cracol%C3%A2ndia-de-bh-1.466957> Acesso em: 24 de maio de 2017.

PAÍS tem 1,3 milhão de viciados em crack. Jornal da Alterosa, em 21 de maio de 2014. Disponível em < https://www.alterosa.com.br/2014/05/21/pais-tem-13-milhao-de-viciados-em-crack-2/> Acesso em 03 de junho de 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v13i3.5402

Flag Counter

Print ISSN: 1516-6481 – Eletrônica ISSN: 2179-7536