Cabeçalho da página

O ESTUDO DA PUNIÇÃO COM O JATO DE AR QUENTE: EFEITO DE DIFERENTES HISTÓRIAS DE REFORÇAMENTO

Marcus Bentes de Carvalho Neto, Priscila Giselli da Silva Magalhães, Bruna Colombo dos Santos, Paulo César Morales Mayer

Resumo

Uma das variáveis que tem influência sobre os efeitos de contingências punitivas é a história de reforçamento. Estudos com choque elétrico demonstram que esquemas de reforçamento contínuo produzem menor resistência à punição, do que esquemas de reforçamento intermitentes. O objetivo desse estudo foi verificar o efeito de um estímulo punidor alternativo - o jato de ar quente (JAQ) - apresentado de acordo com um esquema FR1, sobre a frequência de respostas operantes fortalecidas por diferentes histórias de reforçamento. Seis ratos foram expostos a diferentes histórias de reforçamento durante oito sessões (reforçamento contínuo, razão variável e intervalo variável). Em seguida, os animais passaram por seis sessões em que cada resposta de pressão à barra produzia um JAQ e uma gota de água. Por fim, os animais passaram por seis sessões de recondicionamento, com os mesmos esquemas utilizados na fase de fortalecimento. Durante as sessões de punição, todos sujeitos, independente da história de reforçamento apresentaram total supressão do responder. Quando a punição foi descontinuada todos sujeitos retornaram aos níveis prévios de resposta compatíveis com suas respectivas histórias de reforçamento, os sujeitos do grupo de reforçamento contínuo, contudo, levaram mais tempo para recuperar as taxas de respostas. Limitações metodológicas que comprometeram as conclusões do estudo são discutidas no intuito de aperfeiçoamento.

Palavras-chave: punição; história de reforçamento; jato de ar quente; controle aversivo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v14i2.7533