Logo do cabeçalho da página Agricultura Familiar: Pesquisa, Formação e Desenvolvimento

A sustentabilidade e a gestão hídrica de sistemas agroflorestais em comunidades rurais familiares, no nordeste do Pará

Mariana Menezes Vanzin, Osvaldo Ryohei Kato

Resumo

A dinâmica produtiva nos agroecossistemas familiares amazônicos, aliada a uma diversidade sócio produtiva, propicia modificações interessantes nesse território, além de potencializar impactos socioeconômicos e ambientais positivos. A inserção de inovações técnicas, especialmente no tocante a implantação de Sistemas Agroflorestais, surge como uma alternativa viável de consolidação de espaços produtivos capazes de manter a diversidade ecológica e favorecer ganhos socioeconômicos locais. Buscou-se avaliar, através de indicadores de sustentabilidade as formas de manejo do uso da água em processos produtivos, realizados em agroecossistemas familiares nos municípios de Igarapé-Açu e Marapanim, localizados no estado do Pará. Para tanto, a utilização de ferramentas que auxiliam na escolha de combinações e modos de produção é imprescindível para a interpretação do cenário atual. Dessa forma, o processo metodológico desenha-se a partir da utilização da ferramenta Ambitec-Agro a fim de avaliar o uso da água em agroecossistemas tidos como agroecológicos. Assim, obtém-se a interpretação necessária acerca do impacto gerado pelo incremento produtivo em cada unidade familiar, considerando o uso de insumo e recursos, qualidade ambiental, respeito ao consumidor, gestão e administração, renda, emprego, e saúde ambiental. Os principais resultados apontaram que a todas as Unidades Produtivas têm índice de impacto econômicos e sociais positivos, quanto aos índices ambientais, três foram classificadas como negativas. No entanto, conforme a metodologia, todas as Unidades Produtivas investigadas apresentaram-se sustentáveis. Quanto à demanda racional, 60% das Unidades Produtivas foram classificadas como parcialmente racionais, já em relação à qualidade
de agua, 70% das Unidades Produtivas enquadraram-se como adequada para o uso. Por fim, constatou-se que este sistema foi capaz de avaliar as Unidades Produtivas, revelando as formas de manejo considerando a qualidade e quantidade do uso da água na atividade agrícola. Embora algumas unidades produtivas alcançaram indicadores relativamente baixo em relação a sustentabilidade global, a implantação de Sistemas Agroflorestais nos agroecossistemas estudados se mostrou promissora na manutenção
dos recursos hídricos e ampliação da diversidade ecológica e produtiva.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/raf.v11i1.4675

Apontamentos

  • Não há apontamentos.