Logo do cabeçalho da página Agricultura Familiar: Pesquisa, Formação e Desenvolvimento

Amazônia: uma liturgia da beleza

João de Jesus Paes Loureiro

Resumo

O objetivo original desse texto foi apresentar conexões epistemológicas entre ciência e arte para alunos da Disciplina Natureza, Agricultura e Artes do Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável da Universidade Federal do Pará. Reflete-se articulando percepções que se convertem em objetos de contemplação ou em provas científicas tendo ambas como base a experiência e a experimentação. A esses produtos atribui-se o conceito de conhecimento. Recorre-se a obras de arte e
autores consagrados nos diversos campos do conhecimento filosófico, artístico, religioso e científico como Leonardo da Vinci, Bernardo de Claraval, Max Weber, Bachelard, Durand, Eidorfe Moreira, Zuininga, Humberto Eco e ancora-se na tese defendida em 1994 pelo próprio autor. Passeia por exemplos amazônicos a título de aproximar teoria e exercícios de percepção e conclui com perguntas que abrem para a reflexão sobre as mudanças na interpretação estética e nas mudanças epistemológicas que estão a exigir novos posicionamentos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/raf.v12i1.6074

Apontamentos

  • Não há apontamentos.