Cadernos CEPEC

PESQUISA CIENTÍFICA, CONHECIMENTO E EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE SUA IMPORTÂNCIA ECONÔMICA E SOCIAL

Márcia Diniz Jucá Teixeira Diniz, Marcelo Bentes Diniz

Resumo

Um dos diferenciais do século XXI é a importância que a informação assumiu na vida cotidiana à medida que as tecnologias de informação e comunicação criaram e massificaram uma “nova economia”, ditando um novo paradigma assentado em cinco características principais: informação como a matéria-prima sob a qual tecnologia hegemônica age; capacidade de penetração dessas tecnologias a lógica das redes em criar interações e conexões potencializando a difusão dessas informações; a flexibilidade com que processos, organizações e instituições podem ser modificadas e, por fim a convergência tecnológica em tornar a informação acessível e de certo modo útil. Dada à condição diferencial da produção e disseminação do conhecimento, especialmente, a partir da educação, interessa entender sua condição estratégica na economia contemporânea, daí o objetivo principal deste artigo: discutir a interpretação da ciência econômica acerca da educação e da produção do conhecimento via pesquisa, desenvolvimento, ciência e inovação, inclusive, ressaltando o papel do Estado e da política pública em sua promoção e disseminação. Ao encontro do objetivo acima este artigo está divido em três seções, a primeira discute os fundamentos teóricos do conhecimento e da educação, enquanto geradores de externalidades e com características de bens públicos. A seção 2 discute a discussão da Teoria do Capital Humano no entendimento do conhecimento e educação. A terceira seção apresenta a discussão neochumpteriana consoante às abordagens dos Sistemas de Inovação e Hélice Tríplice e o papel das Universidades na Produção do Conhecimento e Inovação. A quarta seção tece algumas considerações finais.

 

 


Palavras-chave

Inovação, Teoria do Capital Humano, Universidade Pública


Texto completo:

PDF

Referências


ANAND, P. B. Financing the provision of global public goods. World Institute for Development Economic research. Heksink, Finland: ONU/WIDER, 2002. Discussion Paper No. 2002/110.

ANGELINI, R. Defendendo a torre de marfim. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de Engenharia Civil Boletim ABLimno 41(2), 15-19, 2015

BAUMOL, W.J.; OATES, W. The Theory of Environmental Policy. Cambridge University Press, Cambridge, 1988. https://doi.org/10.1017/CBO9781139173513

BECKER, Gary S. Human capital. A theoretical and empirical analysis with special reference to education. 3ª ed. Chicago and London: The University of Chicago Press, 1992.

BECKER, Gary S. Investment in human beings. The Journal of Political Economy Vol. LXX, No. 5, Part 2 (University of Chicago Press), 1962.

BENHABIB, J., SPIEGEL, M. M. The role of human capital in economic development: evidence from aggregate cross-country data. Journal of Monetary Economics, v.34, n.2, p.143-173, 1994.

BARRO, Robert, J. 2001. Human Capital and Growth. American Economic Review, 91(2):12-17.

BAUM, S.; PAYEA, K. Education pays 2004. The benefits of higher education for individual and society. The College Board. (Trends in higher education series).

CARLOTTO, Maria Caramez. Veredas da mudança na ciência brasileira. Discurso, institucionalização e práticas no cenário contemporâneo. São Paulo: Editora 34, 2013.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Volume I. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CHATTERTON, P.; GODDARD, J. The Response of Higher Education Institutions to

Regional Needs. European Journal of Education, Vol. 35, No. 4, 2000

CHIARINI, T.; VIERA, K. P. Universidades como produtoras de conhecimento para o desenvolvimento econômico: sistema superior de ensino e políticas de C T & I. RBE, Rio de Janeiro, v. 66, n.1, p. 117-132, jan-mar, 2012.

CEPAL. UNESCO. Educação e conhecimento: eixo da transformação produtiva com equidade – Brasília: IPEA/CEPAL/INEP, 1995.

CIMOLI, Mario. National System of Innovation: a note of technological asymmetries and cathing up perspectives. Rio de Janeiro: UFRJ. Revista de Economia Contemporânea 18 (1), p. 5-30, 2014.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Graduação/pós-graduação: a busca de uma relação virtuosa. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, p. 777-793, out. 2004.

DAVID, P. A.; THOMAS, M. (Eds). The economic future in historical perspective. New York: Oxford University Press, 2006.

DAVID, Paul. A.; FORAY, Dominique. Economic fundamentals of knowledge society. Police Futures in Education, Volume 1, Number 1, 2003.

DASGUPTA, Partha; DAVID, Paul A. Toward a new economics of science. Research Policy 23 (1984), p. 487-521.

ETZKOWITZ, H..; LEYDESDORFF, L. Universities and the Global Knowledge Economy: A Triple Helix of University-Industry-Government Relations. London: Pinter, 1997.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. The Endless Transition: A "Triple Helix" of University-Industry-Government Relations, Introduction to a Theme Issue. Minerva, 36, 1998, p.203-208.

ETZKOWITZ, H. Hélice Tríplice: universidade – indústria – governo: inovação em ação / Henry Etzkowitz. – Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. xiv+207 p.

ETZKOWITZ , H (2016) Industry & Higher Education Vol 30, No 2, April 2016, pp 83–97, doi: 10.5367/ihe.2016.0303

ETZKOWITZ, H. Innovation in Innovation: The Triple Helix of University-Industry-Government relations. Social Science Information. 2003. 42: 293. DOI: 10.1177/05390184030423002.

GORDON, J. L. P. L. Sistema Nacional de Inovação: uma alternativa de desenvolvimento para países da América Latina. Anais do XIV Encontro Nacional de Economia Política. Sociedade Brasileira de Economia Política – SEP. São Paulo, 2009.

IOSCHPE, Gustavo. A ignorância custa um mundo. O valor na educação no desenvolvimento do Brasil. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2016. P. 49-111.

KAUL, I.; MENDOZA, R. Advancing the Concept of Public Goods. IN: KAUL, I.; CONCEIÇÃO, P.; GOLVEN, K.; MENDOZA, R. (Orgs.). Providing global public goods: managing globalization. United Kingdom: Oxford University Press, 2003. p. 78 – 111.

KAUL, I.; GRUNBERG, I.; STERN, M. Definindo Bens Públicos Globais. IN: ______. Bens Públicos Globais. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Record, 2012. p. 45 – 58.

KAUL, I. Private Provision and Global Public Goods: Do the Two Go Together? Global Social Police, v. 5, n. 2, p. 137 – 140, 2005. DOI: 10.1177/146801810500500203

KAUL, I.; MENDOZA, R. Advancing the Concept of Public Goods. IN: KAUL, I.; CONCEIÇÃO, P.; GOLVEN, K.; MENDOZA, R. (Orgs.). Providing global public goods: managing globalization. United Kingdom: Oxford University Press, 2003. p. 78 – 111.

KEMPTON L, GODDARD J, EDWARDS J, HEGYI FB, ELENA-PÉREZ S. Universities and Smart Specialisation. Seville: Institute for Prospective and Technological Studies, Joint Research Centre, 2014. JRC Technical Reports; S3 Policy Brief Series JRC85508. European Union, 2014

KOLSTAD, C. D. Environmental economics. New York: Oxford University Press, 2000.

LUNDVALL, B. A. & CHRISTENSEN, J. L. Extending and deepening the analysis of innocation system: With empirical illustrations from the DISCO-project. Working Paper 99–12, DRUDI, 1999.

LUCAS, Robert. On the Mechanics of Economic Development, Journal of Monetary Economics. Vol.22, 3-42, 1988.

LUNDVALL, B. A. National Innovation System – Analytical concept and development tool. DRUID-conference in Copenhagen June 27June 29, 2005.

MANKIW, Gregory; ROMER, David and WEIL, David. A Contribution to the Empirics of Economic Growth, Quarterly Journal of Economics, Vol. 107, 407-8, 1992.

MARGINSON, S. The public/private divide in higher education. A global Revision. . Higher Education, Vol. 53: 307-333, 2007.

MARGINSON, S. Higher education and public good. Higher Education Quaterly, Vol. 65, No. 4, outubro de 2011, p 411-433.

MINCER, J. Investment in Human Capital and Personal Income Distribution. The Journal of Political Economy, v.66, n.4, p.281-302, 1958.

MISHAN, E. J. The postwar literature on externalities: an interpretative essay. Journal of Economic Literarture, Vol. 9, No 1, p 1-28, 1971.

MOWERY, D. C.; ROSENBERG, N. Paths of innovation. Technological change in 20th-Century America. Cambridge, United Kingdom: Cambrige University Press, 1999.

NAKABASHI, Luciano. Três ensaios sobre o capital humano e renda por trabalhador. Belo Horizonte, UFMG, 2005. (Tese de Doutorado em Economia).

NELSON, R. R.; PHELPS, E. S. Investment in Humans, Technological Diffusion and Economic Growth. American Economic Review LVI, 1966: 69-75.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Relatório UNESCO sobre Ciência 2010. O atual status da ciência em torno do mundo. Resumo Executivo. UNESCO: Susan Scheegans, 2010.

OLIVEIRA, Terezinha. Origem e memória das universidades medievais. A preservação de uma instituição educacional. Belo Horizonte, MG: Varia História, Vol. 23, nº 37, jan./jun.. 2007. p. 113-129.

PAVITT, Keith. What make basic research economically useful ?. Research Policy, 20, p.109-119, 1991.

PAVITT, Keith. The social shaping of the national sicence base. Research Policy, 27, p.793-805, 1998.

PEREIRA, Paulo Trigo. O conceito económico de bem público. Em: João Pato; Luísa Schmidt; Maria Eduarda Gonçalves (organizadores). Bem comum Publico e/ou privado ?. Portugal, Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2013. p. 85-108.

PERELMUTER, Guy. Futuro presente. O mundo movido à tecnologia. Jaguaré, SP: Companhia Editora Nacional, 2019.

REZENDE, Sérgio Machado. Momentos da Ciência e Tecnologia no Brasil: uma caminhada de 40 anos pela C&T. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2010.

RIBEIRO, Maria das Graças. A educação superior norte-americana: gênese de um modelo. Hist. Educ. (on line). Porto Alegre, Vol. 20, nº 48, jan./abril, 2016, p. 7593.

RIFKINS, Jeremy. A Terceira Revolução Industrial. Como o poder lateral está transformando a energia, a economia e o mundo. São Paulo: M. Brooks do Brasil, 2012.

ROGERS, E. Diffusion of innovations. 4 ed. New York: Free Press, 2003. 523 p.

ROMER, Paul M. Increasing Returns and Long-Run Growth, Journal of Political Economy, Vol. 94, Issue 5, October, 1002-1037, 1986.

ROMER, Paul. Endogenous Technological Change, Journal of Political Economy 98, S71-S102, 1990.

ROMER, M. Paul. The Origens of Endogenous Growth, Journal of Economic Perspectives, Vol. 8, Nº 1, winter, 3-22, 1994.

ROMER, Paul. Idea Gaps and Object Gaps in Economic Development. Journal of Monetary Economics, 32, 543-573, 1993.

ROSENBER, N.; NELSON, R. R. American universities and technical advance in industry. Research Policy 23, 323-348, 1994.

ROCKSTRÖM, J. Managing the global commons: Our worldview, goals and rules need to change in the new, less certain, epoch of the Anthropocene. Our Planet, p. 26-28, out. 2017.

SACOMANO, J.B.; GONÇALVES, R.F.; SILVA, M.T.da,; BONILLA, S.H.; SÁTYRO, W.C. (org). Indústria 4.0 – conceitos e fundamentos. São Paulo: Blucher, 2018. 182p.: il.

SAUL, Renato P. As raízes renegadas da teoria do capital humano. Sociologias. Porto Alegre, ano. 6, nº 12, jul./dez., 2004, p. 230-273.

SERRA, M.; ROLIM, C.; BASTOS, A.P.(org). Universidades e Desenvolvimento Regional: as bases para a inovação competitiva. Rio de Janeiro: Ideia D, 2018

SCHOR, Tatiana. Ciência e tecnologia. O caso de experiment de grande escala da biosfera-atmosfera na Amazônia (LBA). São Paulo: Annablume; Fapesp; Anppas, 2008. (Coleção Cidadania e Meio Ambiente.

SCHWAB, K. A Quarta Revolução Industrial. Tradução Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016

SHAPIRO, C.; VARIAN, HAL R. A economia da informação. Como os princípios econômicos se aplicam à era da internet. Tradução Ricardo Inojoso. Rio de Janeiro, Elsevier, 1999.

SCHULTZ, Theodore, W. Investment in Human Capital. The Free Press, New York, 1961.

STIGLITZ, J. E. knowledge as global public good. In: Kaul, I.; Grunberg, I.; Stern, M. A. Global public goods: international cooperation in 21st century. New York, NY, Oxford University Press, 1999. p 308-325.

STIGLITZ, J. E. Public Policy for a Knowledge Economy. Remarks at the Department for Trade and Industry and Center for Economic Policy Research, London, 27 January. 1999b. Available at: http://www.worldbank.org/html/extdr/extme/jssp012799a.htm

STOKES, Dnald E. O quadrante de Pasteur. A ciência básica e a inovação tecnológica. Traduação José Emílio Maiorino. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2005.

VIALE, R. & ETZKOWITZ, H. Third academic revolution: polyvalent knowledge, The "DNA" of the Triple Helix." in Triple Helix 5. Turin, Italy, 2005.

VIOTTI, Eduardo Baumgratz; MACEDO, Mariano de Mattos (Org.). Indicadores de Ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2003.

WARSH, David. Knowledge and the Wealth of Nations. A story of economic discovery. New York: W. W. Norton & Company. 2006.

WERTHEIN, J.; CUNHA, C. Investimentos em educação, ciência e tecnologia. O que os economistas pensam. Brasília: UNESCO Brasil. Ministério da Educação, Instituto Sangari, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/cepec.v8i2.8316

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES