Cabeçalho da página

TEMPO DE EXPOSIÇÃO A ESTÍMULOS MULTIDIMENSIONAIS E TOPOGRAFIAS DE CONTROLE DE ESTÍMULO

LUCIANA VERNEQUE, ELENICE S. HANNA

Resumo

Eventos ambientais possuem diversas dimensões ou elementos que podem ou não adquirir função de estímulo discriminativo. O presente estudo verificou a influência da duração da apresentação de estímulos multidimensionais no desenvolvimento de controle do comportamento. Seis crianças de 7 a 9 anos aprenderam a discriminar estímulos compostos por uma forma (F) desenhada sobre um fundo colorido (C) e preenchida por um padrão (P), quando deviam escolher um dentre quatro estímulos sem elementos comuns. A duração da apresentação dos estímulos na etapa de ensino foi manipulada em duas condições experimentais (1,5 s e 3 s), usando um delineamento intra-sujeito ABA, com conjuntos de estímulos diferentes. A Condição 1,5 s prolongou o treino, produziu maior exposição aos estímulos e mais erros quando comparada à Condição 3 s. Testes que avaliaram o controle estabelecido pelo composto e pelos seus elementos mostraram efeitos de história experimental e da exposição aos estímulos dependentes do contexto estabelecido pelas configurações dos estímulos das tentativas de teste. Três participantes mostram controle restrito a um ou dois elementos relacionado ao tempo de exposição aos estímulos. As estratégias metodológicas para monitorar topografias de controle de estímulos forneceram informações importantes para identificar habilidades discriminativas ensinadas e emergentes que podem ser úteis em vários contextos. Palavras-chave: Discriminação de estímulos compostos, tempo de exposição aos estímulos, Topografia de Controle de Estímulos, crianças.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v8i1.1823