Cabeçalho da página

DA DISCRIMINAÇÃO SIMPLES À CONDICIONAL: UM PROGRAMA DE ENSINO PARA MACACOS-PREGO

Viviane Verdu Rico, Ana Leda de Faria Brino, Paulo Roney Kilpp Goulart, Olavo de Faria Galvão

Resumo

São relatados dois protocolos para ensinar escolhas condicionais por identidade a quatro macacos-prego adultos. O primeiro foi aplicado com um sujeito com história de responder persistente em reversões de discriminação simples e o segundo refinou o procedimento para três sujeitos ingênuos. Os protocolos envolveram: 1) reversões ou mudanças repetidas de discriminações simples, com tentativas sucessivas (apenas com S+) e tentativas simultâneas (S+ e S-s) alternadas intersessões e posteriormente intrasessões, em um modelo de treino blocado; 2) treino de discriminação condicional. Os quatro sujeitos aprenderam a tarefa apresentando altos índices de acertos em todas as fases. Diferenças quanto ao número de sessões até o critério podem estar relacionadas a diferenças no número de relações treinadas e ao número de escolhas, de 2 a 4, disponíveis em cada tentativa. De modo geral, as manipulações foram efetivas para a obtenção de escolhas sob controle da identidade entre estímulos.

Palavras-chave: discriminação sem erros, reversões repetidas, discriminação simples, discriminação condicional por identidade, macaco-prego 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v11i1.2078