Cabeçalho da página

Análise do responder por exclusão em um cão treinado em tarefas de discriminação simples

Aline Roberta Aceituno Costa, Camila Domeniconi

Resumo

Nos estudos sobre cognição animal, a escolha de um estímulo indefinido (ou seja, cujas funções não foram definidas) condicionalmente à apresentação de um estímulo-modelo que também não apresente funções definidas, quando existem possibilidades de escolha de estímulos com funções experimentalmente definidas, tem chamado a atenção de pesquisadores. Dentre as espécies recentemente estudadas em investigações sobre o responder por exclusão destaca-se a canina. O presente trabalho teve o objetivo de investigar a possível ocorrência do responder por exclusão por um cão após treinos de discriminação simples simultânea com objetos em uma situação estruturada no contexto doméstico dessa espécie. Após o estabelecimento de um responder diferencial para três pares de estímulos (a emissão de respostas como cheirar, lamber, tocar um dos itens do par era consequenciada com alimento e o responder para o outro item não era seguido de consequência programada), foram introduzidos dois tipos diferentes de sondas de exclusão. No primeiro tipo de sonda, o item anteriormente relacionado à consequência era apresentado juntamente com um item indefinido, e, no segundo tipo de sonda, o item não relacionado à consequência era apresentado com o item indefinido. Os resultados mostraram que o animal respondeu para o estímulo indefinido no primeiro tipo de teste e apresentou variabilidade no responder ao segundo tipo de teste (cheirou um item e bateu a pata sobre o outro). Especula-se que a modelagem de um único comportamento como resposta do animal aos estímulos possa conduzir a uma análise diferenciada dos dados e sugere-se que estudos posteriores levem em consideração a exigência de uma resposta padrão do animal. Isso porque, como qualquer primeira resposta era considerada, o animal pode ter apenas explorado o primeiro item e respondido para o segundo. O presente estudo soma-se aos anteriores, aumentando a generalidade do princípio do responder por exclusão, confirmando o potencial da espécie canina como participante nesse tipo de investigação. Palavras-chave: responder por exclusão, discriminação simples, cães, cognição animal.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v5i1.721