Cabeçalho da página

INFERÊNCIAS SOBRE CLASSES DE OPERANTES PRECORRENTES VERBAIS PRIVADOS

Lorismario Ernesto Simonassi, Carlos Eduardo Cameschi, Juliana Brasiliense Vilela, Ana Elisa Valcacer-Coelho, Vivian de Paula Figueiredo

Resumo

Este estudo replica sistematicamente e expande a validade da análise de Greenspoon (1955) de que processos simbólicos interpretados como “uso da linguagem”, podem ser descritos como classes de respostas operantes. No Experimento I, 16 universitários foram distribuídos em dois grupos, em função de agruparem ou não palavras aleatórias por classe gramatical sem indução explícita. Posteriormente, cada participante foi exposto a palavras de diferentes classes gramaticais, em um delineamento ABA. Na Fase de Treino (B), tocar nas palavras pertencentes à classe dos verbos eram conseqüenciadas com “CERTO” e nas demais classes, com “ERRADO”; nas linhas de base (A), pré e pós-treino, não haviam conseqüências programadas. Os resultados mostraram que o grupo que classificou as palavras gramaticalmente teve melhor desempenho, como efeito do controle discriminativo subjacente aos processos privados denominados comportamento precorrente. No Experimento II, quatro participantes não alfabetizados foram submetidos ao mesmo delineamento do Experimento I. A conseqüenciação não produziu aumentos na freqüência de toques sobre os verbos, sendo semelhante a distribuição de respostas entre todas as classes gramaticais. Estes resultados demonstram a natureza operante de certas propriedades do comportamento verbal e o efeito das conseqüências controladoras como função das influências discriminativas de comportamentos precorrentes privados sobre comportamentos públicos. Palavras-chave: comportamento verbal, comportamento precorrente, eventos privados, controle discriminativo


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v3i1.826