Cabeçalho da página

CONTROLES POR SELEÇÃO E REJEIÇÃO EM TREINOS DE DISCRIMINAÇÃO CONDICIONAL E TESTES DE EQUIVALÊNCIA

Willian Ferreira Perez, Gerson Yukio Tomanari

Resumo

Falhas na formação de classes de estímulos equivalentes têm sido explicadas, ocasionalmente, em função dos controles de estímulo (ou topografias de controle de estímulo) que ocorrem ao longo dos treinos de discriminação condicional e nos testes de equivalência. O presente artigo pretende apresentar, didaticamente, as implicações de dois controles de estímulo particulares, o de escolha por seleção do estímulo programado como S+ e o de rejeição daquele programado como S- sobre a formação de classes de estímulos equivalentes em tarefas de matching-to-sample (MTS) envolvendo dois estímulos de comparação. Para tanto, é apresentada, após uma breve revisão da literatura de equivalência, a análise teórica de Carrigan e Sidman (1992), bem como resultados experimentais que a dão suporte. Por fim, dados de pesquisas recentes são discutidos frente a possíveis propostas de investigação que isolariam experimentalmente o estabelecimento de diferentes controles de estímulo.

Palavras-chave: topografias de controle de estímulo, controle por seleção, controle por rejeição, equivalência
de estímulos, matching to sample.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v4i2.849