Cabeçalho da página

FORMAÇÃO DE CLASSES DE ESTÍMULOS EQUIVALENTES EM IDOSOS COM IDADE AVANÇADA

Natalia M. Aggio, Leilane C. K. Antoniazzi, Camila Domenicone

Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar empiricamente a formação de classes equivalentes com participantes com idade avançada utilizando a estrutura de treino CaN e arranjo de treinos e testes do “simples para o complexo”. Três idosos, entre 76 e 83 anos, foram expostos ao procedimento de ensino baseado em emparelhamento com o modelo com o propósito de ensinar-lhes novas discriminações condicionais entre estímulos abstratos e depois testar essas relações para averiguar a formação de classes equivalentes. Os resultados demonstraram que os participantes aprenderam as relações condicionais, requerendo um número de repetições dos blocos de treino de linha de base que variou entre 4,83 e 8,37 em média. Além disso, os três participantes apresentaram no teste de equivalência porcentagem de acertos acima de 80%. Dessa forma, foi possível observar sistematicamente a formação de classes de equivalência com participantes idosos usando a estrutura de treino CaN e o arranjo de treinos e testes do “simples para o complexo”.

Palavras-chave: equivalência de estímulos, emparelhamento com o modelo, formação de classes equivalentes,
idosos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v4i2.852