Cabeçalho da página

AVALIANDO JULGAMENTOS NÃO VERBAIS DE IGUALDADE/DIFERENÇA ENTRE ESTÍMULOS AUDITIVOS EM INDIVÍDUOS COM DEFICIÊNCIAS INTELECTUAIS: UMA INVESTIGAÇÃO METODOLÓGICA

Richard W. Serna, Mark A. Preston, G. Brooks Thompson

Resumo

O presente artigo metodológico relata uma tentativa inicial de avaliar a viabilidade e a utilidade de uma tarefa não verbal para avaliar o julgamento generalizado de igualdade/diferença entre estímulos auditivos em indivíduos com deficiências intelectuais. O Estudo 1 investigou se os participantes poderiam prontamente adquirir uma linha de base de desempenho discriminativo de igualdade/diferença, em tarefa de “go-left/go-right” (responder à esquerda/responder à direita) com ajuda mínima. Os estímulos-modelo consistiam em pares de sons de frequência única apresentados sucessivamente. Se os sons fossem idênticos, seleções de um estímulo visual no lado esquerdo da tela do computador eram reforçadas. Se os sons fossem diferentes, seleções de um estímulo visual no lado direito da tela do computador eram reforçadas. Dois dos cinco participantes aprenderam prontamente a tarefa, generalizaram o desempenho para outros estímulos e completaram um protocolo rudimentar para avaliar discriminações auditivas que são potencialmente mais difíceis do que aquelas usadas para estabelecer a tarefa inicial. No Estudo 2, dois participantes que não puderam desempenhar a tarefa “go-left/go-right” com os sons de única frequência, mas puderam fazê-lo com palavras faladas como estímulos, transferiram com sucesso o controle das palavras faladas para os sons via um procedimento de esmaecimento e sobreposição de estímulos auditivos. Os achados apoiam a viabilidade de se usar a tarefa como uma avaliação de discriminação auditiva em geral. Palavras-chave: discriminação auditiva, procedimento de resposta à esquerda/resposta à direita, deficiência intelectual, emparelhamento ao modelo, sobreposição e esmaecimento.


Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v5i2.931