Cabeçalho da página

CONTROLE MÚLTIPLO NO COMPORTAMENTO VERBAL: HUMOR BRASILEIRO E OPERANTES RELACIONADOS

Maria Martha Costa Hübner, Jack Michael

Resumo

O presente texto apresenta a formulação de Skinner (1957) a respeito das variáveis responsáveis por aquilo que é compreendido como humor, com exemplos relacionados à literatura e cultura brasileiras. O comportamento responsável por produzir efeitos humorísticos sobre o ouvinte é entendido como sendo passível de controle múltiplo. Esse comportamento é analisado através de seus produtos, como textos e amostras de linguagem falada, sendo possível fazer inferências a respeito das condições nas quais o comportamento ocorreu. Trocadilhos e piadas são exemplos de controle múltiplo dado que: 1) a força de uma determinada resposta é função de mais de uma variável, uma forma de controle múltiplo convergente; 2) uma única variável geralmente afeta mais de uma resposta, uma forma de controle múltiplo divergente. O controle múltiplo pode envolver uma palavra ou frase que está sob controle de pelo menos duas variáveis, ou “fontes” ao mesmo tempo. A palavra ou frase é denominada resposta crítica e as variáveis controladoras são consideradas fontes temáticas principais, fontes secundárias e fontes transportadoras. Através de diferentes exemplos, os três tipos de fontes e o conceito de resposta crítica são descritos, e sao apresentadas sugestões para a criação e análise de um trocadilho bom ou engraçado. A sátira e a ironia são apresentadas como exemplos de comportamentos controlados por audiências distintas, e poemas de Manuel Bandeira são usados para ilustrar o comportamento satírico. Argumenta-se que fazer humor é aprendido e possivelmente um comportamento adaptativo, na medida que um evento pode ser menos estressante se levado com um senso de humor.

Palavras-chave: humor, comportamento verbal, controle múltiplo


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v1i1.673