Cabeçalho da página

A Revista ARTERIAIS é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade Federal do Pará. Tem a missão de desenvolver redes de relações no circuito da área das artes, visando a divulgação de conhecimentos. Destina-se à publicação de trabalhos acadêmicos e artísticos, propiciando a difusão de processos e projetos nas áreas das Artes Visuais, Cênicas e Musicais, bem como suas interseções, para além de seus campos específicos, transitando da experiência estética à crítica. Neste sentido, estabelece, ainda, seções diferenciadas, conferindo espaço para entrevistas, portfólios e partituras. A publicação de trabalhos pode ser submetida em português, espanhol e inglês.

A revista é indexada no DOI e no Portal de Revistas da UFPA.

ISSN 2446-5356 | DOI 10.18542


Universidade Federal do Pará
Instituto de Ciêncas da Arte
Programa de Pós-Graduação em Artes
Homepage:
ppgartes.ufpa.br/site 
Revista ARTERIAIS
Avenida Governador Magalhães Barata, n.º 611, 
CEP 60060-281, Belém-Pará-Brasil 
E-mail: 
revista.arteriais@gmail.com 
Homepage: 
http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/ppgartes

Telefone: +55 – 91 - 3249-2905

Notícias

Prorrogado o prazo de submissão de textos para o Dossiê Temático <<Memórias, Histórias e Artes Cênicas: entre o Local e o Global>>

Chamada de Dossiê Temático

As historiografias tradicionais imprimiram suas perspectivas e experiências de pesquisa, resultantes de seus próprios momentos históricos, suas motivações, teorias, métodos de abordagem, formas de escrita e fenômenos analisados. Contudo, contemporaneamente, percebemos a urgente necessidade de repensar o fazer historiográfico das artes cênicas; incluir temas silenciados e negligenciados, colocados nas bordas das narrativas tradicionais e hegemônicas; repensar abordagens teóricas, métodos de investigação, objetos de pesquisas que, em muitas situações, nem são consideradas pelas abordagens tradicionais. Nesse sentido, este Dossiê Temático da Revista Arteriais cria espaço para debates, reflexões e proposições sobre as artes da cena, a partir do campo teórico-metodológico da memória, da história e da historiografia. Convidamos pesquisadoras e pesquisadores brasileiras (os) e de outros países a contribuir com este dossiê temático, a partir de novas formas de pensar e escrever histórias das artes cênicas.

Eixos norteadores para as propostas de submissão os seguintes temas:

 - História e historiografia da cena: outros brasis.

- Os estudos decolonias e sua relação com a história das artes cênicas.

- Historiografias das artes da cena: novos métodos, temas, objetos e sujeitos.

- Ofícios da cena: técnicas e saberes na história das artes cênicas.

- Diversidade e história das artes cênicas: mulheres e o fenômeno espetacular.

- Diversidade e história das artes cênicas: experiências LGBTQIA + e o fenômeno espetacular.

- Negritude e história das artes cênicas.

- Povos originários, saberes tradicionais e a histórias das artes cênicas.

- História e memória das artes cênicas: patrimônio e acervos.

 

O prazo para submissão: 30 de junho de 2022

Organizadores: Monize Oliveira Moura (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), Fabiana Siqueira Fontana (Universidade Federal de Santa Maria), José Denis de Oliveira Bezerra (Universidade Federal do Pará)

 
 
Publicado: 2022-05-02

Prorrogado o prazo de submissão de textos para o Dossiê Temático <<Historiografias Desencontradas: o lugar da arte-educação na história da cultura artística>>

Para este Dossiê Temático a Arteriais – Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da Universidade Federal do Pará – receberá artigos até: 30 de agosto de 2022. Estes artigos devem compor a Arteriais, v.8, n. 15, de agosto/dezembro de 2022. 

2023 marcará os quarenta anos da publicação de História Geral da Arte no Brasil, organizada por Walter Zanini et all. Distribuída em capítulos assinados não só por historiadores, mas também por antropólogos, sociólogos, designers e educadores, teve (e tem) o mérito de reconhecer que uma historiografia da arte atenta às circunstâncias artístico-culturais da contemporaneidade pressupõe uma escritura que ultrapassa os limites sindicais de uma única área de conhecimento – no caso, o da própria História da Arte. Além disso, é a primeira obra da historiografia da arte brasileira que, por sua própria estrutura, reunia e apontava para vários debates que se tornariam candentes nas décadas seguintes: os lugares destinados à arte ameríndia e afro-diaspórica na formação dos profissionais da arte (educadores incluídos); as relações entre arte, design e cultura popular; a inserção da fotografia e suas implicações nas narrativas historiográficas da arte e da imagem; e – não menos importante – o lugar da arte-educação numa historiografia geral da arte, através de um dos primeiros estudos sobre a história do ensino de arte no Brasil e de sua institucionalização – este assinado pela única mulher (Ana Mae Barbosa) num escrete masculino.

O que foi tensionado em História Geral da Arte no Brasil, mais do que os (des)encontros de historiografias particularizadas, é justamente a noção de “território” epistêmico: a quem é dado o direito de construir e de mediar narrativas historiográficas supostamente gerais ou generalizáveis? Que tipos de fricções são causadas nos fluxos e refluxos entre colonização e descolonização de saberes e fazeres no campo ampliado da história da arte? Que importância têm as pautas identitárias de gênero e etno-raciais nas releituras e reescrituras da história?

Assim, supostos lugares de fala e supostos lugares de escuta nas culturas artísticas se confrontam, se confundem, se esbarram, se entrelaçam e se borram, provocando necessárias reflexões sobre “entre lugares” e “não lugares” e, consequentemente, sobre deslocamentos epistêmicos e metodológicos nos campos das artes e dos seus ensinos e mediações.

É nessa perspectiva que o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Arte/Educação Borrando Fronteiras (GEPABOF/CNPq), em colaboração com a Revista Arteriais (PPGARTES/UFPA), convida arte-educadores, arte-historiadores e arte-mediadores a produzirem reflexões através de entrevistas, artigos, resenhas e ensaios (escritos e visuais) sobre estas e outras questões pertinentes, numa perspectiva histórica também atravessada por aportes antropológicos, sociológicos, filosóficos, educacionais e comunicacionais ou de quaisquer recortes inter e transdisciplinares que tenham as artes como foco.

O Comitê Editorial é composto por – Ana Mae Barbosa, professora-doutora da Universidade Anhembi-Morumbi, José Afonso Medeiros, professor-doutor da Universidade Federal do Pará, Leda Guimarães, professora-doutora da Universidade Federal de Goiás, Lucia Gouvea Pimentel, professora-doutora da Universidade Federal de Minas Gerais, Rejane Galvão Coutinho, professora-doutora da Universidade Estadual Paulista, Sidney Peterson de Lima, professor-doutor da Universidade Estadual Paulista, Vitória Amaral, professora-doutora da Universidade Federal de Pernambuco.

 
Publicado: 2022-03-02

COMUNICADO SOBRE OS NÚMEROS REFERENTES AO ANO DE 2021

Os Editores da Revista Arteriais comunicam aos seus autores e leitores que os números referentes ao ano de 2021 estão em processo editorial. Tão logo esses trabalhos técnicos sejam resolvidos os números irão ao ar. Agradecemos pela compreensão.

 
Publicado: 2021-12-03

ARTERIAIS | V.7 | N.12 | 2021