Cabeçalho da página

ESTABELECIMENTO E REORGANIZAÇÃO DE RELAÇÕES ARBITRÁRIAS DERIVADAS APÓS O TREINO EM MATCHING-TO-SAMPLE DE IDENTIDADE COM CONSEQUÊNCIAS ESPECÍFICAS

Marcelo V. Silveira, Harry A. Mackay, Julio C. de Rose

Resumo

No Experimento 1, seis participantes foram treinados em um procedimento MTS de identidade (IDMTS) para estabelecer relações estímulo-estímulo A1A1, A2A2, A3A3; B1B1, B2B2, B3B3; e C1C1, C2C2, C3C3. Respostas corretas resultavam na apresentação de consequências específicas, Sr1, Sr2 e Sr3. Uma resposta de consumação às consequências específicas foi requerida para que os participantes pudessem coletar os pontos nas tentativas de treino. O procedimento MTS arbitrário foi utilizado para documentar a formação de três classes de equivalência A1B1C1Sr1, A2B2C2Sr2 e A3B3C3Sr3. Em uma fase subsequente, o IDMTS com consequências específicas foi empregado para treinar as relações D1D1, D2D2 e D3D3. Os estímulos D eram fotografias de faces humanas expressando alegria (D1), tristeza (D2) e neutralidade (D3). Por último, avaliações por meio do diferencial semântico atestaram a ocorrência da transferência das funções (i.e., “significados”) dos estímulos D para os estímulos C e para Sr1 e Sr3. Estes resultados sugeriram que as classes ABCSr se expandiram para incluir os estímulos significativos D (i.e., A1B1C1D1Sr1, A2B2C2D2Sr2 e A3B3C3D3Sr3). No Experimento 2 verificou-se que, para cinco participantes, o procedimento de reversão das consequências específicas Sr1 e Sr2 em relação aos estímulos C1, C2 e D1 e D2 deu origem a duas classes de equivalência reorganizadas (A1B1C2D2Sr2 e A2B2C1D1Sr1). Paralelamente, os dados do diferencial semântico documentaram a reversão dos significados atribuídos previamente aos estímulos D1 e D2. Estes achados sugerem que o procedimento de reversão reorganizou as classes de estímulos bem como seus significados. Porém, resultados análogos não foram reportados para as consequências específicas.

Palavras-chave: Matching-to-sample de identidade, consequências específicas, classes de equivalência, reorganização de classes de equivalência, transferência de função, universitários


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rebac.v13i2.5901