Cabeçalho da página

A pesquisa em espaços de educação não formal em ciências na Região Norte: o caso do Bosque da Ciência

Saulo Cezar Seiffert Santos, Marcia Borin da Cunha

Resumo

A pesquisa em espaços de educação não formal em ciências tem crescido no Brasil. Na Região Norte do Brasil muitos dos museus de ciências situam-se na floresta amazônica e possuem características próprias. Buscamos neste contexto realizar um estudo qualitativo bibliográfico sobre o Bosque da Ciência na cidade de Manaus-AM, análogo ao museu de ciências. Consultamos o Google Acadêmico e o site de um grupo de pesquisa em espaços não formais no Amazonas no período de 2010-2018. Localizamos 24 trabalhos completos publicados em revistas e anais. Os trabalhos sobre o Bosque são normalmente de descrição do espaço e de sequência didática, e possuem enfoque ontológico, com observação dos seres vivos e uso de painel informativo, representação fiel da natureza, com interação minds-on e heards-on, com pressupostos empiristas e construtivistas com área ambiental e ensino de ciências. Acreditamos que futuras pesquisas tendem a se dirigir a valorização da experiência humana e ao sócioconstrutivismo.


Palavras-chave

divulgação científica; educação não formal; Bosque da Ciência


Texto completo:

PDF

Referências


ABCMC - Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência. Centros e museus de ciência do Brasil 2015. Rio de Janeiro: ABCMC: UFRJ; Fiocruz. Museu da Vida, 2015.

ARAGÃO,T.Z.B. Concepções de ciência presentes na divulgação e práticas institucionais não formais de ensino de ciências. Dissertação (PPG-FE/USP). São Paulo: USP, 2013.

BORGES,R.M.R.; SILVA,A.F.D; DIAS,A.L.M. Cultura e educação científica e tecnológica em centros de ciências no Brasil. In BORGES,R.M.R.; IMHOFF, A.L.; BARCELLOS, G.B. Educação e cultura científica e tecnológica: centros e museus de ciências no Brasil. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

BUENO,W.C. Comunicação cientifica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação & Informação, v. 15, n. suplementar, p. 1–12. 2010.

ESHACH,H. Bridging In-school and Out-of-school Learning: Formal, Non-Formal, and Informal Education. Journal of Science Education and Technology, s.l., v. 16, n. 2, p. 171–190, 2007.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2013.

FRANÇA,S.B.; ACIOLY-RÉGNIER,N.M.; FERREIRA,H.S. Caracterização do perfil educacional e de mediação dos museus de ciências da Região Metropolitana do Recife. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 8. 2011. Águas de Lindóia, SP. Anais... Águas de Lindóia, SP: 2011. p. 1-12.

GHEDIN, L. M.; GHEDIN, I. M.; FACHÍN-TERÁN, A. Análise das placas informativas em espaços não formais da cidade de Manaus, Amazonas, Brasil. In: S. C. Seiffert Santos & A. Fachín-Terán (Eds.). Temas sobre ensino de ciências em espaços não formais: avanços e perspectivas (pp. 196-209). Manaus: UEA Edições, 2016.

HEIN,G.E. Museum Education Defining Museum Education. In Museum education (pp. 340–353), 2006.

JACOBUCCI, D.F.C. Contribuição dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Revista em Expansão, n. 7, p. 57–66, 2008.

LEAL, G. K. S., SOUZA, E. S., FACHÍN-TERÁN, A. Bosque da Ciência: espaço não formal institucionalizado como elemento facilitador no processo de aprendizagem científica através do lúdico. In: Seminário de Educação em Ciências na Amazônia, 4. 2014. Anais... Manaus, AM: PPGEECA/UEA, 2014. p. 1-8.

MACIEL, H. M., FACHÍN-TERÁN, A. O potencial pedagógico dos espaços não formais da cidade de Manaus. Curitiba: Editora CRV, 2014.

MARANDINO, M.; SILVEIRA, R. V. M. Da; CHELINI, M. J.; FERNANDES, A. B.; MARTINS, L. C.; FLORENTINO, H. A. A educação não formal e a divulgação científica: o que pensa quem faz? In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 4. 2004. Águas de Lindóia, SP. Anais... Águas de Lindóia, SP: 2004.

MARQUES, J. B. V.; FREITAS, D. de. Fatores de caracterização da educação não formal: uma revisão da literatura. Educação & Pesquisa, São Paulo, v. Ahead of p, p. 1–24, 2017.

MONTPETIT,R. Du science center à l’interprétation sociale des sciences et techniques. In E.H.K.Iele (Ed.), olution de la muséologie des sciences (pp. 175–86). Lyon: Presses Universitaires de Lyon/Éditions Multimonde, 1998.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. Learning Science in Informal Environments : People, Places, and Pursuits. (P. Bell, B. Lewenstein, A. W. Shouse, & M. A. Feder, Eds.). Washington DC: The Nacional Academies Press, 2009.

QUEIROZ, R. M.; TEIXEIRA, H. B.; VELOSO, A. dos S.; TERÁN, A. F.; QUEIROZ, A. G. de. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 8., 2011. Anais ... Águas de Lindóia: ABRAPEC, 2011. p. 1-11.

ROCHA, S. C. B., FACHÍN-TERÁN, A. Guia de visita a espaços não formais amazônicos a partir de uma experiência no Bosque da Ciência. Curitiba: CRV, 2014.

ROCHA, S. C. B., FACHÍN-TERÁN, A. O uso de espaços não formais como estratégia para o ensino de ciências. Manaus: UEA/PPGEECA, 2010.

SEIFFERT SANTOS, S. C.; CUNHA, M. B. da. Os termos de indexação alistados aos espaços de educação não formal num evento de ensino de ciências. In Seminário Internacional de Pesquisa Qualitativa (SIPEQ), 5, 2018. Anais... Foz do Iguaçu: SE&PQ, 2018. p.1-12. Disponível em: https://sepq.org.br/eventos/vsipeq/documentos/51590930282/11. Acesso em 04 jun. 2018.

STOCKLMAYER, S. M.; RENNIE, L. J.; GILBERT, J. K. The roles of the formal and informal sectors in the provision of effective science education. Studies in Science Education, s.l., v. 46, n. 1, p. 1–44, mar. 2010.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente (7th ed.). São Paulo: Martins Fontes, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazrecm.v14i32.5801

Direitos autorais 2018 Amaz RECM

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Creative Commons License