Cabeçalho da página

As configurações subjetivas de docência e suas transformações no decorrer da trajetória profissional

Marciléa Serrão Resque, José Moysés Alves

Resumo

Apresentamos, no presente artigo, um recorte de uma pesquisa de doutorado, na qual objetivamos compreender as configurações subjetivas de docência e suas transformações no decorrer da trajetória profissional de um professor de ciências e biologia. Analisamos as informações a partir da perspectiva histórico-cultural da Teoria da Subjetividade de González Rey. Apoiados na epistemologia qualitativa, apresentamos um estudo de caso, organizado a partir das informações construídas por meio de complemento de frases, questionário aberto e entrevista individual. Os resultados apontam que diferentes configurações de sentidos subjetivos de docência são produzidas no decorrer o percurso profissional e estas estão profundamente enlaçadas às suas interações sociais, nos diferentes contextos em que o professor transitou, desde a infância. O referencial adotado possibilitou dar visibilidade ao sujeito concreto, em sua trajetória singular, o que costuma ser desconsiderado nas generalizações que resultam de uma abordagem do percurso docente por ciclos.


Palavras-chave

trajetória profissional docente; configurações subjetivas; teoria da subjetividade


Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel G. Ofício de mestre: imagens e autoimagens. 11 ed. Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes. 2009.

CAVACO, Maria Helena. Ofício do professor: o tempo e as mudanças. In: NÒVOA, Antônio (org.). Profissão professor. Porto- Portugal, Porto editora, 1999.

CHAVES, Silvia Nogueira. Reencantar a ciência, reinventar a docência. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2013.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo, Cortez editora, 2002.

FAUSTINO. Isabel Maria Lopes Ribeiro. Trajectorias de professionalidade e ciclo de vida profissional: Um contributo para o conhecimento dos professores de educação especial. 2011. 260 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) – Escola Superior de Educação de Lisboa, Lisboa, 2011.

GONZALEZ REY, Fernando Luis. Sujeito e subjetividade: uma aproximação histórico-cultural. São Paulo: Thomson Learning, 2005. Revista Psicologia da Educação, São Paulo, 24, 1º sem. de 2003.

GONZALEZ REY, Fernando Luis. Pesquisa Qualitativa e Subjetividade os processos de construção da informação. São Paulo: Thomson Learning, 2005.

GONZALEZ REY, Fernando Luis. As categorias de sentido, sentido pessoal e sentido subjetivo: sua evolução e diferenciação na teoria histórico-cultural. Revista Psicologia da Educação, n.º 24, p. 155-179, 1º semestre de 2007.

GONZALEZ REY, Fernando Luis. Subjetividade e saúde: superando a clínica da patologia. São Paulo: Cortez, 2011.

GONZALEZ REY, Fernando Luis; MITJÁNS MARTINEZ, Albertina. Subjetividade: teoria, epistemologia e método. Campinas – SP: Editora Alínea, 2017.

MOTA, Maria Alice Alves da, URT, Sonia da Cunha. Pensando o sujeito: um diálogo entre Castoriaids e González Rey. Psicologia em estudo, Maringá, v. 14, n. 4, p. 621-629, out./dez. 2009.

NEUBERN, Mauricio da Silva. Complexidade & psicologia clínica: desafios epistemológicos. Brasília: editora Plano, 2004.

NÓVOA, Antonio. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Revista Educacion. Madrid, 2009.

OLIVEIRA, Luciana da Silva; TACCA, Maria Carmen V. R. Subjetividade, docência e ação formativa: o valor heurístico de uma nova base teórica. In: Ação formativa docente e práticas pedagógicas na escola. TACCA, Maria Carmen V. R. (Org.). Campinas, SP: Editora Alínea, 2016.

ROSSATO, Maristela; MARTÍNEZ, Mitjáns Albertina. Desenvolvimento da subjetividade: análise de histórias de superação das dificuldades de aprendizagem. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo. v. 17. n. 3. jul/dez de 2013.

SCOZ, Beatriz. Aprendizagem e ensino de professores: sentidos subjetivos. In: MITJÁNS MARTINÉZ, Albertina. A Complexidade da Aprendizagem: destaque ao ensino superior. Campinas: Alínea, 2009.

SCOZ, Beatriz. Identidade e subjetividade de professores: sentido do aprender e do ensinar. São Paulo: Vozes, 2012.

SOUZA, Eliseu Clementino de. Memória, (auto) biografia e formação. In: CHAVES, Silvia Nogueira. BRITO, Maria dos Remédios de. Formação e Docência: perspectivas da pesquisa narrativa e autobiográfica (Org.). Belém, CEJUP, 2011.

TACCA, Maria Carmen. Relação Pedagógica e desenvolvimento da subjetividade. In: GONZÁLEZ REY. F. L (Org.). Subjetividade, Complexidade e Pesquisa em Psicologia. Rio de Janeiro: Thomson Learning, 2005.

TACCA, Maria Carmen. A pesquisa como suporte da formação e ação docente. Campinas, São Paulo: Editora Alínea, 2017.

TACCA, Maria Carmen; GONZÁLEZ REY, Fernando. Produção de sentido subjetivo: as singularidades dos alunos no processo de aprender. Psicologia: ciência e profissão. Brasília, v. 28, n. 1, p. 138-161, 2008.

TOLFO, Suzana da Rosa. A carreira profissional e seus movimentos: revendo conceitos e formas de gestão em tempos de mudanças. Rev. Psicol., Organ. Trab., Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 39-63, dez. 2002 . Disponível em . Acesso em 11 jun. 2018.

XAVIER, Mírian. A Aprendizagem profissional da docência de professores de ciências e biologia. 2014, 322 f. Tese (Doutorado em Educação). Curso de pós- graduação em educação da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Campo Grande, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/amazrecm.v15i33.5955

Direitos autorais 2019 Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Creative Commons License