O RIO JOANA PERES (ESTADO DO PARÁ) E O FENÔMENO DO PIRAKAU: UMA PERSPECTIVA ETNOGRÁFICA

José Bittencourt da Silva

Resumo


Resumo: O presente artigo objetiva expor e descrever de maneira analítica um fenômeno natural chamado de pirakaú, observado entre os meses de janeiro, fevereiro e março de cada ano no rio que banha a comunidade Joana Peres localizada no território da Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho, município de Baião, estado do Pará. Mas, o que significava etimologicamente o termo Pirakaú e qual o seu sentido para a população residente na comunidade Joana Peres? Para o recolhimento das evidências optamos por uma pesquisa do tipo qualitativa, com pressupostos metodológicos próprios das correntes etnográfica e fenomenológica. O texto apresenta possibilidades para o estabelecimento de diálogos para investigações mais aprofundadas, principalmente porque existe claramente uma ausência de material bibliográfico acerca do fenômeno do pirakaú. O que segue são aprofundamentos acerca das questões levantadas, a partir das informações recolhidas em campo.

Palavras-chave: Amazônia. Comunidade Joana Peres. Pirakaú.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v10i14.4255

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados à Revista Margens Interdisciplinar - ISSN: 1982-5374

Universidade Federal do Pará - Campus Universitário de Abaetetuba - Editora Campus de Abaetetuba