Page Header

GESTÃO DOS CORPOS NAS FAVELAS E PERIFERIAS NO RIO DE JANEIRO: DAS REMOÇÕES À COVID-19

Flávio ROCHA (UERJ)

Abstract

No decorrer da república brasileira, as favelas e periferias foram alvos de diversas intervenções da administração pública. Estes lugares foram sempre colocados como “o outro”, como vulneráveis, como “problemas”. Esses problemas, no ponto de vista estatal, devem sofrer intervenções, seja através de remoções, de militarizações, do mercado imobiliário, entre outras distintas maneiras de se gerir determinada população. Ou simplesmente, pode ser deixada a mercê de uma precarização proposital em um momento de crise. Portanto, o presente estudo, utilizará a cidade do Rio de Janeiro como estudo de caso para exemplificar os diferentes processos de produção e gestão de áreas periferizadas em contextos urbanos.

Palavras-chave: Remoções. Favelas. Covid-19. Gestão. Estado.


MANAGEMENT OF BODIES IN FAVELAS AND PERIPHERIES IN RIO DE JANEIRO: FROM REMOVALS TO COVID-19

Abstract: In the course of the Brazilian Republic, the favelas and peripheries were the targets of several public administration interventions. These places were always placed as "the other", as vulnerable, as "problems". From a state point of view, these problems must be addressed through removals, militarization, the real estate market, among other different ways of managing a given population. Or simply, it can be left at the mercy of a purposeful precariousness in a time of crisis. Therefore, this study will use the city of Rio de Janeiro as a case study to exemplify the different production and management.


Keywords: Removals. Favelas. Covid-19. Management. State.


References


CASTRO, João Paulo. Da favela à comunidade: Formas de classificação e identificação de populações no Rio de Janeiro. Revista Anthropológicas, v. 15, n. 8, 2004, p. 171-198.

CORREIA, Fernanda. Breve Histórico da Questão Habitacional na Cidade do Rio de Janeiro. Revista Eletrônica Achegas, v. 31, set. 2006, p. 31-44.

FARIAS, Luiz Antonio de. O déficit habitacional na metrópole do Rio de Janeiro: Perfis e contextos. Revista Geográfica da América Central, Número Especial EGAL, 2011, p. 1-16.

FERNANDES, Adriana. Coronel Vírus chegou. Notas etnográficas sobre a Covid-19 entre vulnerabilizados da cidade do Rio de Janeiro. Sexualidad, Salud y Sociedad - Revista Latinoamericana, n. 35, ago. 2020, p. 7-34.

MAGALHÃES, Alexandre. A lógica da destruição: sufocamento, asfixia e resistências nas favelas do Rio de Janeiro. In: LEITE, M. P. et al. (Eds.). Militarização no Rio de Janeiro: da pacificação à intervenção. Coleção Engrenagens Urbanas. Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2018.

MAGALHÃES, Alexandre. Remoções de favelas no Rio de Janeiro: Entre formas de controle e resistências. Curitiba: Appris, 2019.

MAGALHÃES, Alexandre. As periferias na pandemia: explicitação da política de precarização e de exposição à morte. Tessituras: Revista de Antropologia e Arqueologia, v. 8, 2020, p. 79-85.

MAGALHÃES, Alexandre. DE. Transformações no “problema favela” e a reatualização da “remoção” no Rio de Janeiro. Tese de doutorado—Rio de Janeiro: Instituto de Estudos Sociais e Políticos - IESP/UERJ, 2013.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Portugal: Antígona, 2014.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Arte & Ensaio, n. 32, 2016, pp. 123-151




DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v15i24.10087

Copyright (c) 2021 Flávio Rocha

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Indexing for:

 

 

Impact Factor 1.54


 Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

Federal University of Pará - Abaetetuba Campus - EditorAbaete

Post-Graduate Program in Cities, Territories, and Identities (PPGCITI)

ISSN: 1806-0560 e-ISSN: 1982-5374

DOI: https://dx.doi.org/10.18542

         

Free counters!