Logo do cabeçalho da página Revista Margens Interdisciplinar

POPULAÇÃO DO CAMPO NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: DESENVOLVIMENTO, CAPITAL SOCIAL E O PAPEL DA EDUCAÇÃO

José Bittencourt da Silva

Resumo

Historicamente, a concepção de desenvolvimento esteve ligada às ideologias decotômicas do pós-Segunda Gerra Mundial. O presente artigo objetiva apresentar e debater outros aspectos da condição humana e social que vêm sendo colocados como imprescidíveis ao desonvolvimento como a idéia de capital social, que tem sido posta como elemento capaz de produzir na sociedade a qualidade histórica indispensável ao seu automelhoramento. Neste contexto, a Educação também é colocada como a mais importante aliada na formação de sentimentos coletivos em detrimento de condutas individualistas e antiéticas. Na Amazônia brasileira, esses novos inputs se fazem mister para quebrar o círculo nada virtuoso do individualismo, da violência, do apego ao patronato e da falta de sentimento de pertencimento com autoestima. Para tanto, buscou-se fundamentar o debate a partir de pesquisa bibliográfica, realizada em biblioteca virtual e física, assim em acervo pessoal. 

Palavras-chave: Desenvolvimento. Educação. Capital Social. Amazônia Brasileira. População do Campo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v5i6.2802

Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados à Revista Margens Interdisciplinar - ISSN: 1982-5374

Universidade Federal do Pará - Campus Universitário de Abaetetuba - Editora Campus de Abaetetuba